Make your own free website on Tripod.com

O RADIOAMADOR



O QUE É UM RADIOAMADOR?
É a pessoa que, como passatempo, utiliza uma estação de rádio para comunicar-se com outras, sem propósitos comerciais. Alguns falam através de computadores utilizando modos digitais de comunicação, outros preferem utilizar os meios normais de comunicação através da voz e alguns preferem utilizar a velha, eficiente e agradável tecnologia do século 19 conhecida como Código Morse também chamada pelo seus praticantes de CW.
Alguns Radioamadores ajudam a salvar vidas de pessoas efetuando comunicações de emergência após um desastres naturais como enchentes, desastres, terremotos, etc.
Outros fazem uma grande amizade com pessoal com quem conversam, muitas vezes do lado do globo, pessoas que na maior parte das vezes nunca chegarão a conhecer!
Você não pode imaginar, quantas coisas interessantes que poderá realizar como Radioamador. Que tipos de pessoas você conhecerá? Pessoas desconhecidas como as que você vê quando anda no centro da cidade, pessoas de diferentes raças, credos, idades, profissões, qualquer uma delas poderá ser um Radioamador que um dia você poderá encontrar no rádio.
Em qualquer dia ou em qualquer hora você poderá estar envolvido em uma conversa amiga e de paz com pessoas em qualquer lugar do mundo pois o Radioamadorismo, mais do que qualquer hobby, não conhece fronteiras.
 
CLASSES DE RADIOAMADOR
Você pode escolher entre três da quatro classes de Radioamador existentes no Brasil para iniciar-se no Radioamadorismo.
1 . Na classe D, que permite apenas o uso de frequências acima de 50 MHz, você poderá utilizar muitas frequências, principalmente a popular faixa dos 2 metros (144 à 148 MHz). Também é permitido o uso de estações repetidoras que aumentam em muito o alcance dos rádios móveis e portáteis das faixas de VHF e UHF.
2. A classe C, permite comunicações com todo o mundo, utilizando fonia e/ou telegrafia (CW) nas bandas de 160, 80 e 10 metros e exclusivamente CW nas bandas de 40 e 15 metros além de possuir os previlégios da classe D.
3. Na classe B além dos previlégios das classes D e C é permitida também a utilização na fonia na banda de 40 metros.
4. Após 1 ano de operação como classe B é permitido, prestar exames para promoção à última classe, a classe A, a qual abrirá as portas dos fabulosos 20 metros, permissão de utilização das chamadas bandas novas de 12, 17 e 30 metros e também a permissão de utilização de vários outros modos de transmissão como transmissão e recepção de sinais de TV.
INDICATIVOS DE CHAMADA
Todos os Radioamadores, ao receberem a sua licença, recebem também um indicativo de chamada. Muitos são mais conhecidos por seus indicativos de chamada do que por seus nomes. Indicativo de chamada é um conjunto de letras e números, fornecidos pela ANATEL (Agência Nacional de Telecomunicações). Nos indicativos de chamada utilizados no Brasil iniciam com P ou Z, dependendo da classe mais uma combinação de números e letras. As letras antes do número são chamadas de prefixo. As letras utilizadas pela Brasil originam-se do bloco PYA-PYZ e ZVA-ZVZ.
CONCURSOS E DIPLOMAS DE RADIOAMADORES
Se você gosta de competição, então gostará de participar de Concursos e ganhar Diplomas. Essas atividades radioamadorísticas reconhecem a sua habilidade em contatar outros radioamadores sob regras específicas.
Nos Concursos a finalidade é contatar tantos outros radioamadores quanto possível em um determinado período de tempo, normalmente em fins de semana.
Os Diplomas são outorgados, por entidades e/ou associações de Radiomadores, quando determinadas tarefas são cumpridas, como por exemplo o famoso DXCC (DX Centurion Club), cuja tarefa é comprovar contatos com Radioamadores de no mínimo 100 (cem) diferentes países.
Os Clubes de CW brasileiros, possuem um extenso programa de Diplomas que se enquadra entre os maiores do mundo.
RADIOAMADORES E OS COMPUTADORES
Como não poderia deixar de ser o Radioamadorismo também utiliza muito a informática. Você pode conectar seu micro ao seu rádio e operar nos modos digitais AMTOR, PACTOR, GTOR e packet radio.
Com o packet, por exemplo, você poderá deixar mensagens para outros amadores e pegar as respostas mais tarde.
Outro utilização muito usada é o DX packetcluster, que permite informação em tempo real das raras estações estrangeiras nas bandas.
AMTOR é um modo digital utilizado nas bandas HF (High Frequency, entre 3 e 30 MHz).
Computadores também podem ser utilizados para aprendizado, treinamento, recepção e transmissão de código morse. Enfim existem muitas outras aplicações da informática no Radioamadorismo que você em breve descobrirá.
RADIOMADORES E A PESQUISA ESPACIAL
O primeiro Radioamador/Astronauta foi W5LFL, Owen Garriot , que fez parte da tripulação do Ônibus Espacial Columbia em 1983.
Tony England, W0ORE, efetuou transmissões de TV em varredura lenta (SSTV) enquanto orbitava a Terra no õnibus espacial Challenger em 1991.
A NASA constantemente promove atividades a bordo dos ônibus espaciais por causa do seu comprovado valor tanto educacional quanto promocional.

COMO SE INICIAR NO RADIOAMADORISMO?
Existem muitas facetas no Radioamadorismo, tantas que nos é impossível abordar todas neste pequeno artigo.
Mas a essa altura você já deve estar pensando e se perguntando, o que fazer para se iniciar no Radioamadorismo?
O primeiro passo é conseguir um COER ou seja o Certificado de Operador de Estação de Radioamador.O COER é o instrumento que habilitar seu titular a obter permissão para executar o serviço de Radioamador e a operar a respectiva estação.
O COER será concedido aos aprovados em testes de avaliação, segundo as seguintes classes:
a) Certificado para Radioamador Classe "D", para os maiores de 10 anos, aprovado nos testes de:
1. Técnica e Ética Operacional e
2. Legislação de Telecomunicações;
b) Certificado para Radioamador Classe "C", para os maiores de 10 anos, aprovado nos testes de:
1. Técnica e Ética Operacional;
2. Legislação de Telecomunicações; e
3.Transmissão e recepção auditiva de sinais de Telegrafia em Código Morse.
c) Certificado para Radioamador Classe "B", aos menores de 18 anos, após decorridos dois ou mais anos da data de expedição do Certificado de Operador Classe "C", e aos maiores de 18 anos, desde que aprovados, em ambos os casos em testes de:
1. Conhecimentos técnicos em Eletrônica e Radiocomunicações;
2. Técnica e Ética Operacional;
3. Legislação de Telecomunicações; e
4. Transmissão e Recepção auditiva de sinais de Telegrafia em Código Morse.
d) Certificado para Radioamador Classe "A", aos Radioamadores da classe "B", após decorrido um ano da data de expedição do Certificado de Operador de Estação de Radioamador desta classe, aprovados nos testes de:
1. Conhecimentos técnicos em Eletrônica e Radiocomunicações;
2. Técnica e Ética Operacional;
3. Legislação de Telecomunicações; e
4. Transmissão e Recepção auditiva de sinais de Telegrafia em Código Morse.
 

Fonte:  CWGO/PT2BT